Archive for the ‘Carros’ Category

Reliant Robin

Posted: 16/04/2011 in Carros, Terror

Esse é um carro quase desconhecido no Brasil. Na verdade, o Reliant Robin não é um carro, é um triciclo. Os dirigentes da Reliant tiveram uma idéia brilhante: um “carro” com três rodas seria considerado um triciclo, portanto as taxas e os impostos seriam consideravelmente menores, fazendo o produto final mais barato do que se fosse um carro de verdade.

Até ai tudo certo e tudo bonito. Mas só até ai. Como a imagem mostra, os “gênios” que projetaram o Robin colocaram uma roda na frente e duas atrás. Agora, qualquer pessoa que entende um pouco de carros deveria ter calafrios.

O projeto final era simples: um carro barato e barato. Nada além disso. O carro não excitava nem um adolescente com uma Playboy na mochila. Mas como o Reliant Robin ficou muito barato, a Reliant conseguiu vender um número considerável dessas coisas.

O carro não faz curvas. Não é brincadeira não, isso é fato. Acima de certa velocidade, que é extremamente baixa, o carro sempre capota. O programa Top Gear (que eu já falei previamente, e um dia farei a crítica) mostrou esse fato. Um dos apresentadores dirigia um Reliant Robin pelas ruas de Londres e ficava capotando em todas as curvas.

O que no começo era uma idéia decente, no fim ficou uma idéia tão boa quanto provocar uma mulher na TPM, explicar mecânica dos sólidos para um psicólogo ou dar pedalas em tigres famintos.

Nota engenharia: (para o carro)0 (para a coragem que tiveram para vender aquela monstruosidade)10


Essa é uma das histórias mais incríveis que eu conheço, que eu vi no programa britânico de carros Top Gear, e eu completei algumas lacunas com pesquisas na internet. A equipe de corrida da Lotus era nova, visto que a montadora nascera em 1952, e participava da competição das 24 horas de Le Mans pela segunda vez. A Lotus levou três carros, um para uma categoria e dois para outra categoria. Um desses dois carros que é o protagonista desta história. Não tanto o carro, mas sim um dos pilotos (nesta competição cada carro conta com dois pilotos).

A Lotus Racing levou os três carros, mas eles não passaram na vistoria técnica. Então os carros foram refeitos pela equipe. Agora vem uma informação não confirmada que eu vi no programa já citado: os carros não teriam sido aceitos para a competição no dia anterior, então esse piloto foi para um bar e tomou todas, bebeu tanto que nem parava em pé. Porém durante a noite a organização da competição mudou de idéia e confirmou os carros no grid de largada. Sim, o piloto estava na manguança e teria de correr.

A equipe começou a dar muito café para ele tomar, porque dirigir embriagado é perigoso. Isso resultou em um novo problema: ele começou a ficar muito agitado, e quem está estressado ou agitado também dirigi mal, e em uma corrida isso pode ser perigoso. Qual foi a brilhante solução da equipe? Ele começou a tomar uísque. Sim, começaram a dar mais álcool para ele para garantir que ele não estaria agitado para a corrida.

E o que aconteceu no fim? O carro com este piloto ficou em sétimo colocado na classificação geral, e o mais impressionante: ele foi campeão em sua categoria. Depois de tudo o que se passou, este ser foi capaz de se consagrar campeão. Depois de 24 horas de corrida, começando mais bêbado que universitário depois de uma prova difícil, ele venceu.

E este piloto, juntamente com a Lotus Racing, são meus heróis.

Nota engenharia: (para a equipe) 10 (para o piloto) 1000


Para quem imaginava que eu já tinha reclamado tudo que podia sobre esse assunto está muito enganado.

Os APzeiros (donos de carros com motor AP, normalmente usando uma corrente de prisão antiga em volta do pescoço) são adeptos do chunning. Sim, não é tunning, mas sim chunning. O que é chunning? É levar no mexânico (mexânico sim porque este ser não é um mecânico) da esquina e fazer coisas com o carro que normalmente seriam estúpidas e o carro não agüentaria.

Colocar aerofólios e as chamadas saias sem um estudo e provavelmente sem motivo, aumentar a potência do motor demais, normalmente usando kits de turbo instalados na garagem, sem redimensionar o câmbio ou sem trocar os freios. Falando em freios, essa é uma parte que os APzeiros mais alopram no carro, pois quanto mais gasto melhor. O Gol já é conhecido por ter uma frenagem deficiente, agora carros com potências excessivas e pastilhas gastas fazem a felicidade dos mecânicos que tem que arrumar os carros depois de batidas. Para comparação, um gol normal freia tão bem quanto um aluno de psicologia estudando Termodinâmica aplicada. Já um Gol turbo freia tão bem quanto um leão selvagem fazendo prova de Cálculo I.

Um amigo meu tem um Gol turbo e ele uma vez me deu carona para casa. Nossa sorte foi a de que não tinha movimento, porque o semáforo ficou vermelho e o carro dele simplesmente continuou se movendo. E isso dá medo. Sem falar do fato que APzeiros não gostam de usar o freio. Um outro amigo tem um Gol, mas sem chunning, e estava voltando para casa depois de me dar carona, o carro da frente freou, ele não e bateu, destruindo a frente do Gol. Minha sorte foi que eu já estava em casa, porque eu estava andando no banco de trás sem cinto de segurança (eu sei que eu estava me arriscando mas como um AP de verdade, o carro tava sem cinto atrás)

O chassi do Gol não é dos mais rígidos que existem, e isso é fato. Agora um Gol turbinado fica com chassi mais mole que pinto de velho sorvete em dia quente. O mexânico que destrói trabalha nesses carros não sabem direito o que fazer ou como fazer, então usa o recurso da gambiarra com freqüência muito maior que deveria. Se colar com chiclete e não cair em dez minutos para que fazer direito, não é?

Nota engenharia: 0

Ford GT-40

Posted: 13/04/2011 in Awesome, Carros, Clássicos

Esse carro é mítico, um dos mais importantes carros esportivos de todos os tempos. Ford tinha um trato decidido para comprar a Ferrari, mas no último segundo Enzo Ferrari mudou de idéia e cancelou tudo. Ford, ficou irritadinha e birrenta, decidiu fazer um carro que humilharia a Ferrari. E ele conseguiu. O Ford GT-40 ganhou quatro vezes seguidas as 24 horas de Le Mans, uma das mais importantes corridas do planeta.

Aí começa o problema. Ford é estadunidense, e sua marca também é. Um fato é conhecido por amantes de carros: estadunidenses não sabem fazer carros. Nesse momento um monte de idiotas que assistem filmes de Hollywood em demasia vão me irritar. Eles sabem fazer um carro rápido em linha reta, pegar um metal retorcido e colocar um motor com tanto torque quase faz a Terra girar e com tanta potência que se perdesse metade dos cavalos ainda seria um estábulo considerável, lembrando também que quando aceleram aparece um redemoinho no tanque de combustível, quase formando um vácuo. E nada dessas coisas são boas. Japoneses e europeus fazem muito mais com muito menos, e ainda tem a façanha de conseguirem carros que são capazes de fazer curvas.

Depois da explicação eu digo o problema: como um carro da Ford conseguiu ser tão bom e conseguiu humilhar a Ferrari? Nada disso faz sentido. Isso transtornava minhas noites, me levava a beber, era uma sombra negra na minha vida (drama queen huahuahuahuuhauhauha).

Depois de muito tempo tudo fez sentido. O icônico Ford GT-40 foi projetado pro britânicos, foi construído por britânicos, tudo feito na Inglaterra. Então o mais importante carro estadunidense de todos os tempos não é na verdade estadunidense? Novidade. Agora a história do GT-40 está no lugar certo, tanto quanto mulher na engenharia. Acho que não né? Está no lugar certo tanto quanto malucos na psicologia.

Nota engenharia (para o carro): 9,5

 

Nota psicologia(para o preço):0

Carros com motor AP

Posted: 12/04/2011 in Carros, Terror

Por que ser genérico? Simples: motores AP são um mal e quem o projetou deveria ser atropelado por um carro com esse motor depois de ser cortado no trânsito 50 vezes por carros com esse motor e depois de ficar preso em um congestionamento por duas horas com um carro com um motor desses e caixas de som próprias para shows de rock.

O que é um motor AP? É o motor que recebeu o nome (sem bom motivo) de Alta Performance, e equipa principalmente o Gol mais antigo. O Gol bola, não é mais equipado com esse motor, mas com um que é quase igual, com algumas diferenças e a mesma aura maligna.

Esse motor é barato, resistente, robusto e de fácil manutenção. Hoje em dia é um motor caro por ser popular, mas até alguns anos atrás era barato. Você ia a uma papelaria e comprava alguns lápis, umas borrachas e um bloco grande de papéis. Por precisar de um peso de papel, você aproveitava e levava um bloco (parte do motor) de AP.

Até agora tudo bonito e legal, então por que essa raiva? O problema desse motor são os donos dos carros. Esses donos são conhecidos como retardados, idiotas, filhas da puta, e por ai vai, ou simplificando, são chamados de APzeiros (que já está tudo implícito). Não é só raiva minha, muita gente também se sente da mesma maneira. Um amigo meu no trânsito as vezes grita “é Gol”, e não pelo apelo esportivo, mas sim porque tem um APzeiro fazendo o que não devia.

Carros de APzeiros são aqueles que tem mais neon que cassino em Las Vegas, tem caixas de som maiores que de shows de rock, são aqueles que o motorista (o maldito APzeiro) senta no encosto e não no banco, são aqueles de tão baixo (por cortarem as molas) não passam em buracos e quando atropelam alguém levam embora junto. Os APzeiros dirigem da mesma maneira que se um certo psicólogo estivesse bêbado, fumado crack, fazendo sexo com a namorada, jogando no PSP enquanto tentava estudar psicologia. Tudo ao mesmo tempo.

Acham que eu estou exagerando? Prestem atenção no trânsito, a grande maioria dos carros fazendo barbeiragem são aqueles com motores AP ou suas versões evoluídas (ou não tanto).

Nota engenharia: 0

Olha cara, não sei se Corsas tem motor AP, mas de cada 10 carros que atrapalham minha vida no transito 9 são corsas.

 

Nota psicologia: 2

Ferrari F40

Posted: 11/04/2011 in Carros, Clássicos

Sim, eu sei que é um carro antigo, mas eu gosto muito dele e escreverei um pouco sobre ele. Este carro, quando lançado em 1987 foi o carro de produção mais rápido do mundo, superando o Porshe 959 e foi o primeiro carro deste tipo a ultrapassar 200 m/h (320 km/h). Um design lindo, voltado para a aerodinâmica fez deste carro um sonho para garotos do mundo inteiro. Eu já era nascido antes do fim da Ferrari F40, mas ainda era muito novo, porém quando eu era um pouco mais velho eu me lembro de ter um carrinho de fricção deste modelo, e o que o fazia tão especial era a alavanca embaixo do carrinho que levantava os faróis. Até hoje eu acho carros com esse aparato sensacionais.

A Ferrari F40, de certa forma, criou um nicho de mercado. Os super carros que eram apenas e somente carros. O Porshe 959 tinha muita tecnologia enquanto que seu competidor italiano não tinha nem controle de tração. Foi o primeiro carro totalmente em fibra de carbono, conseguindo assim ser muito leve, com motor muito potente e uma peculiaridade que começou com ela e até hoje vemos reflexos disso: o carro não tinha mais nada. Sim, tinha bancos, volante e etc, mas fora o estritamente necessário, esta Ferrari não tinha mais nada. Não havia nem encosto para o braço na porta, no lugar foi colocado uma cordinha para puxar e fechar a porta deste monstro italiano. O carro não tinha luxo algum. E nem muito conforto. Eu já vi pessoas dizendo que dirigir uma F40 é como ter uma broca e uma furadeira apertando seu pescoço. A Ferrari F40 criou o estilo de que bastava ser rápido e bonito para ser um super esportivo.

De certa forma, este carro é como se colocassem um motor potente de moto, como um 500cc, em uma bicicleta em que até o banco é muito ruim e sem conforto. Apesar disso tudo, é um carro fantástico que marcou época e ficará na memória dos amantes de automobilismo.

Nota engenharia: 10

Kart

Posted: 09/04/2011 in Awesome, Carros, Esportes

Andar de kart é uma das minhas atividades favoritas. Faço engenharia, gosto de carros e de corridas, então pilotar kart é um prato cheio. É difícil descrever a sensação de pilotar, a adrenalina no corpo, o barulho do motor, a vontade de a cada volta ser melhor, fazer um traçado mais limpo e uma volta mais rápida. Resumindo, é viciante. Quando comecei a andar parecia que eu estava a mil por hora quando na verdade estava devagar, e com o tempo se acostuma com a velocidade e sempre se quer mais.

Eu sei que pilotar kart é cansativo e é extremamente caro, mas vale a pena a experiência, isso eu garanto.

Kart indoor são os mais comuns e são divertidos, com traçados mais estreitos e mais travados, karts menos potentes, porém a sensação de velocidade é grande. Contudo, pilotar kart em kartódromo não tem comparação, especialmente com karts mais potentes. O ronco do motor, a velocidade no fim da reta, atacar as zebras na entrada e saída das curvas, simplesmente fabuloso.

Para quem tiver a rara oportunidade de pilotar karts potentes em pistas devem fazê-lo, vale cada segundo. E quem tiver a oportunidade de fazer o anterior de baixo de chuva, não pense no assunto: vai direto para a pista! Correr em pistas molhadas é uma sensação única, com menos velocidade, porém com controle total do kart, uma pisada a mais no freio e você roda, atacar a zebra um pouco demais e você roda, acelerar demais em uma poça e você roda, passar muito forte em remendos da pista e você roda. Sim, a dificuldade é muito maior mas o prazer também é, pois quando se consegue controlar o kart fazer curvas em alta velocidade com a pista molhada é indescritível.

Nota engenharia: 9,5 para pista seca – 11 para pista molhada